11.10.2017 às 13h

Prefeitura segue campanha contra a Febre Amarela

Expectativa é imunizar toda a população e impedir
o avanço da doença com a chegada do calor

A Prefeitura da Estância de Atibaia tem intensificado, por meio da equipe da Secretaria Municipal de Saúde (formada por profissionais da Vigilância e da Rede Básica), as ações de prevenção contra a febre amarela em Atibaia, orientando e levando a vacina aos bairros, além de mantê-la disponível diariamente em todas as Unidades Básicas de Saúde.

A campanha itinerante irá priorizar no momento os seguintes bairros: Esmeralda, Tanque, Paraíso do Tanque, Três Pistas, Jd. do Trevo, Jd. São Felipe, Pinheiral, Atibaia Belvedere, Estância Parque, Estoril II, Maracanã, Rio Acima, Rio Abaixo, Ponte Alta, Parque Real, Estrada dos Pires, Pedreira, Laranjal, Laranja Azeda, Jd. Brogotá, Boa Vista e Cachoeira. A vacina também será oferecida nos eventos da “Prefeitura no Bairro” e nas campanhas desenvolvidas pela Secretaria Municipal de Saúde.

É importante que as igrejas, empresas, associações de moradores, estabelecimentos comerciais e condomínios auxiliem na conscientização para que toda a população do município seja imunizada, pois ainda há uma grande preocupação com a possibilidade de avanço da Febre Amarela com a chegada do calor e a ocorrência de chuvas, condições ambientais favoráveis à expansão da doença.

A vacina é a principal estratégia de prevenção e controle da doença. Ela é aplicada em dose única a partir dos nove meses de idade. Está contraindicada em pessoas com doenças graves em tratamento, como câncer, lúpus, artrite reumatoide entre outras. Idosos podem ser vacinados se estiverem saudáveis. Pessoas que foram vacinadas anteriormente devem procurar o Posto de Saúde com a carteira de vacinação para que a dose seja registrada no sistema.

Arquivo SECOM

Macacos são vítimas

A Febre Amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por vírus transmitido por mosquitos silvestres. Seu ciclo de transmissão envolve macacos e o homem participa como hospedeiro acidental ao entrar em áreas de mata e ao ser picado por mosquitos infectados.

A pessoa infectada, ao voltar à área urbana, passa a ser o hospedeiro do vírus e, se picada pelo mosquito Aedes aegypti, pode dar início a uma epidemia urbana. É bom lembrar que os macacos são vítimas da doença como os humanos e não os culpados. Quando os macacos aparecem mortos ou doentes precisam ser recolhidos e encaminhados para exame. A equipe de Vigilância Ambiental da Prefeitura de Atibaia realiza esse trabalho.

Quando um humano é infectado é necessária cuidadosa assistência ao doente, que deve ser mantido hospitalizado, em repouso. Nas formas graves, o paciente deve ser atendido em Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) para reduzir as complicações e o risco de óbito. Medicamentos à base de AAS (ácido acetil salicílico, o AAS e a Aspirina, por exemplo) devem ser evitados por favorecerem sangramentos.